Como lidar com a ira à maneira do Trino Deus

Você já ouviu falar do gato-maracajá? Todos nós cultivamos algo parecido com este animal dentro de nossos corações. A ira é um gato traiçoeiro. Como lidar com a ira?

Ele é um animal muito bonito, que tem, no máximo, 50 cm de altura, escala árvores, é muito ágil, mas é conhecido por ser um dos animais mais traiçoeiros da natureza. É como um monstro para os macacos,  ele consegue vocalizar o som dos macacos bebês para atrair suas presas.

A ira é como um filhote deste gato.

Nós a alimentamos e cuidamos, ela vocaliza legitimidade e quando nos damos conta, somos presas deste animal que criamos e colocamos dentro do nosso quarto interior. A raiva e a ira sempre foram temas que evitei. Não gosto de pensar e falar sobre um pecado que tantas vezes alimentei e cuidei. Muitas vezes tentei legitimá-la chamando-a de santa, mas a Ira santa de Deus só acontece porque Ele é uma Trindade. E na maioria das vezes, não foi o que eu pratiquei.

A maneira pela qual o Trino Deus lida com as nossas ofensas é em equipe.

Percebemos isso melhor no Novo Testamento, pela revelação completa do mistério de Cristo: Efésios 1:9. A pessoa ofendida na Trindade não busca justiça própria, mas cada um intervém ou luta pelo direito da outra pessoa da Trindade. Todos os que creram foram predestinados pelo Pai a santidade, mas cabe ao Espírito tratar conosco e nos conduzir até Cristo, o que viabiliza sermos santos.

No Novo Testamento, Jesus demonstra a sua ira de maneira mais clara quando entra no Templo e expulsa os comerciantes a chicotadas (João 2.13-25). Podemos perceber dois elementos de sua ira que tem de ser santa, visto que Ele nunca pecou.

Dois elementos sobre a Ira Santa de Jesus no Templo

O primeiro elemento é que ele não estava dominado pela ira. O texto fala que Ele mesmo confeccionou o chicote. Ele trançou um chicote com cordas e essa não é uma tarefa realizada com a agilidade que o texto transmite por alguém que está “fora de si”.

E o segundo elemento é visto no verso 16:

“Parem de fazer da casa de meu Pai um mercado!”.

A luta de Cristo era pela casa do Pai. Ele lutou pelo direito de outra pessoa de sua equipe. A ira santa é manifestada ao lutar pelo direito do outro.

Creio que qualquer viabilidade de ira santa acontece quando não lutamos pelos nossos próprios direitos e não somos dominados pela ira, ou seja, permanecemos com domínio próprio, apesar de irados. A ira santa é viável, mas ela acontece quando lutamos pela Palavra de Deus, pelo cuidado do outro, na busca de justiça pelo indefeso, e em outras situações que não envolvam os pronomes pessoais: eu e meu. E somente se atuarmos em equipe com outros cristãos, em semelhança com a Trindade.

Por isso, a característica da semana para aquele que adota uma cosmovisão trinitariana é:

Busca lidar com a ira seguindo o exemplo do Deus Trino e atuando da mesma forma com o corpo de Cristo.


Aproveite para conhecer mais sobre a família Lupion e a nossa mudança para o Uruguai